sábado, 17 de outubro de 2009

109ª - O Touro e o Bezerro - Fazendo bifes

Fames optimum condimentum
Não há tempero tão bom como a fome

Olá amigos! A fábula de hoje fala da pretensão. Quando a experiência da idade ou a clarividência¹ dos idosos são desprezadas, geralmente o resultado é danoso. Esopo já dizia em seu conto de hoje: "Não presuma!" Bela lição.

E por falar em lição, touro e bezerro, repasso a vocês uma técnica para fazer um bife suculento, macio, cozido e insuperável. Aprendi com um chef espanhol - j.Andrés - e nunca havia reparado no erro cometido nos cozimentos comuns, quando a carne perde todos os sumos. Antes de tudo, é necessário obter uma tampa abaulada e com furos nas laterais, como as destas formas para bolo que vão sobre o bico do gás. Ele, creiam, usa uma lata de azeite, recortada num dos lados e vazada nas laterais. Toda a técnica se concentra em igualar a temperatura nas duas faces do bife, sem deixar o vapor molhar a carne. Colocado o bife na frigideira, cubra-o e deixe cozinhar até mais da metade da espessura (verifique de tempos em tempos).Vire-o após isto e cubra-o novamente, até o cozimento total. Salgue somente após pronto. Experimentem.

BOA LEITURA e até mais...

¹ s.f. qualidade ou caráter de clarividente - espir faculdade por meio da qual o médium, sem empregar os sentidos, toma conhecimento do mundo exterior .

109ª - O Touro e o Bezerro

Um Touro estava esforçando-se com todo empenho para ultrapassar uma passagem estreita que o conduziria ao estábulo. Um jovem Bezerro surgiu e ofereceu-se para ir à frente e mostrar-lhe o modo pelo qual ele poderia conseguir passar."Safe-se a ti mesmo das dificuldades, " disse o Touro; "Eu sei de que modo proceder muito antes que você nascesse!".

Moral:

"Não presuma ensinar seus anciãos".

2 comentários:

Textos variados disse...

Acho interessante como Esopo concentrava grandes lições em pequenas fábulas.
Gostei da receita também, apesar de fazê-la de um modo diferente, mas preservando o mesmo resultado; por um acaso também sou cozinheiro.
Até mais.

vade mecum disse...

Oi amigo Jackson! Gratos pela assiduidade e gentis comentários. Não sou cozinheiro, mas sempre que posso, repasso as raridades gastronômicas aos amigos.
Seja sempre bdm-vindo!