terça-feira, 13 de outubro de 2009

105ª - O Menino e as Avelãs

Glebam quoque accipit erro
Homem pobre com pouco se contenta

Bom dia amigos do blog! A fábula de hoje fala da ganância e a gula pelo gostoso. Lembram-se do ditado : "Macaco velho não põe mão em cumbuca"? - Pois aí está o conto-raiz, de onde ele se originou...

Ser parcimonioso¹ fa z parte do ser educado. O limite - tão esquecido - precisa de uma renovação. Ser civilizado significa absorver estes ensinamentos.Meu recado para as crianças do blog: "Tem mais a ser dado, do que a ser tirado"...

BOA LEITURA e até mais...

¹ adj. qualidade ou característica de parco - ação ou hábito de fazer economia, de poupar; economia .

105ª - O Menino e as Avelãs

Um Menino pôs sua mão numa jarra que continha avelãs. Ele agarrou tantas quantas poderia segurar, mas quando ele pretendeu retirar a mão, lhe foi impedido pelo gargalo da jarra, muito menor que a sua mão fechada. Pouco disposto a perder as avelãs e ainda incapaz de retirar a mão, ele caiu em lágrimas e amargamente lamentou a sua decepção. Um espectador disse a ele: "Fique satisfeito com metade da quantidade e você tirará sua mão prontamente.".

Moral:

"Não tente muito, de uma só vez.”



Um comentário:

Textos variados disse...

Bem que eram avelãs, mas é verdade, não adianta querer mais do que se precisa ou se pode carregar. Este ensinamento é um clássico.
Já disse que sou fã deste blog? Se já desculpe a repetição, se não, digo agora: sou fã deste blog!
Até amanhã.