segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

174ª - O Leão e o Asno - O Colégio 4/5


De caldaria in carbonariam pervenire

Fugir do fumo, cair nas brasas




Bom início de semana a todos. A fábula de hoje traz a velha lição das aparências tomando a forma da efetividade. Muito se consegue usando-as, mas convém recordar a facilidade do desmascaramento.
A prosa ESSES OLHOS VIRAM... segue contando:

...Alguns dos irmãos ficavam sisudos e circunspectos nas suas pesadas batinas. Outros, a rodarem as saias, cheios de trejeitos em disfarçados passos de dança, tal enrustidos ‘drags queens’, sentiam-se deslumbrados diante das platéias. Aprendíamos a analisar ‘caras e bocas’ de cada um, dimensionando o poder de resistência da vítima. Os ‘maneirosos’ tinham o calvário determinado já ao início do ano letivo. O caminhar sem ruídos pelos corredores com assoalho em madeira do último andar do colégio, rumo aos laboratórios ou salão de atos, era arte para poucos. Recordo um dos mestres tentando ensinar aos malandros como pisar, com os leves deslizares de suas sapatilhas, fazendo o menor estrépito possível. Uma aula de balé clássico para rinocerontes com tacões, mais propensos ao ‘flamenco catalão’ que ao Lago dos Cisnes. Com raríssimas exceções, os irmãos eram portadores de didáticas tateantes, vivendo um mundo tenebroso de ‘decorebas’ ou de línguas estrangeiras com forte sotaque alemão. Exames finais obrigatórios - escritos e orais, com pontos sorteados -, onde uma matéria reprovada, anularia sete ou oito outras aprovadas, completavam o clima de terror ao final do período. Ali, critérios de médias ponderadas, tão misteriosos quanto o enigma da pirâmide, fundamentavam os princípios básicos da nobre missão de educar.

TO BE CONTINUED

174ª - O Leão e o Asno

Um Leão e um Asno fizeram um acordo para sair caçar junto. Logo acharam uma caverna que servia de abrigo para as cabras selvagens. O Leão tomou posição de ataque à boca da caverna e o Asno, entrou nela, escoiceando e zurrando espalhafatosamente, para amedrontar e fazê-las sair. Quando o Leão as pegou, o Asno saiu e lhe perguntou se não havia feito uma bela ação. "Sim, realmente e eu lhe asseguro, você me amedrontaria também, se não soubesse ser um Asno".

Moral:

“As aparências enganam”.

Um comentário:

Taynara disse...

legal mais voces tem que colocar as fabulas com todas as morais porque eu to precisando de sete e so achei dois fica dificil