terça-feira, 30 de junho de 2009

XVI - O Lobo e o Jovem

Homo homini lupus.
O homem é o lobo do homem.


Olá pessoal amigo, nossas boas vindas de hoje. Uma fábula que demonstra o espírito covarde que comanda certas atitudes. Convém lembrar a distinção das pessoas realmente corajosas, não ao enfrentar feras ou gigantes, mas sim, situações teais. Um abraço a todos e amanhã...voltaremos.


XVI - O Lobo e o Jovem

Um Jovem estava empoleirado em cima do topo de sua casa e olhando para baixo viu um Lobo que passava por ali. Imediatamente ele começou a insultar e atacar o inimigo. “Assassino e ladrão,” gritou ele, “... o que o fazes aqui, perto das casas de pessoas honestas? Como ousas, aparecer onde tuas ações vis são tão conhecidas?".

"Amaldiçoado sejas, meu jovem amigo.” disse o Lobo.


Moral:

"É fácil ser valente a uma distância segura".

4 comentários:

michaela disse...

esse blog tá cada vez melhor!!
as histórias são muito legais e estão muito bem re- contadas.
Como eu venho só de vez em quando, leio várias ao mesmo tempo... ihihih...
Achei tão legal o que tu escreveu no aniver. Além das fábulas, ia ser ótimo ler mais crônicas e pensamentos de tua autoria ... que tal?
Beijos!

michaela disse...

esse blog tá cada vez mais legal!!
Mas como eu venho só de vez em quando, leio várias histórias juntas... ihihihihh... depois fico pirando.
Tão bonito o que tu escreveu no aniver, pai. Ia ser ótimo se , além das fábulas, a gente pudesse ler mais coisas de tua autoria, tipo crônicas e comentários, por que o Esopo é massa, mas tu é bem mais " vivo" que ele!! ;)
hheieheiheie...
beijos!

MÔ disse...

Salve Vade!!!!
Graças ao capricho e dedicação do noosso grande tradutor,temos hoje, creio, a mais enigmática de todas as situações trazidas por Esopo: o lendário e mitológico duelo entre o Homem o o Lobo!!!
Esse confronto nos faz revisitar a referencial obra do notável escritor nascido alemão, Hermam Hesse, Prêmio Nobel de Literatura/1946.

Pois, tanto quanto na fábula de hoje,no seu "O Lobo da Estepe", Hesse esmiuça a sinuosa dualidade que habita o nosso corpo, tão uno, único e singular...
Assim como o Harry(personagem-título), nos deparamos incontáveis vezes com as duas naturezas, os antagonismos que nos habitam, mobilizam e, tb, nos imobilizam...
impulso e espírito,agressividade e ternura, delicadeza e instinto, eros e tanatos, o selvagem e o domado (ou domesticado??)
E tanto quanto o acareamento clicado na fábula de hoje, somos muitas vezes obrigados a lançar um profundo olhar para o caos da nossa própria alma, escarafunchar em nossas desarmonias internas para, por fim, chegar à plena consciência de nós mesmos.

Como Esopo é atual e onipresente.
Obrigada Vade Mecum, por trazê-lo tão lindo até nós.
Beijos!!!

SUGESTÔES DE LEEITURAS:
Sobre Hesse: SIDARTA. Estupendo!!!
Sobre Lobos, façam como a Michela: leiam "Mulheres que Correm com os Lobos", de Clarissa Pinkola Estás. Obrigatória!!!

Beijos!!!

VADE MECUM disse...

Bah tchê... Deverias criar um blog próprio dna.Mô... São comentários pertinentes aos viciados em leitura e psicanálise. Altas doses culturais... E porque não fazê-lo??
As crianças se assustaram...risos